VIVIAN PONTES

  A vocação para a arquitetura começou quando, ainda criança, desenhava na mesa feita com uma porta revestida em fórmica branca no escritório do pai engenheiro ou quando “passeava” com o dedo pelas plantas de apartamentos do jornal de domingo. Tem lembranças da primeira casa que seus pais construíram, onde andava se equilibrando no baldrame da obra e tem a sensação de que foi a única criança a assistir ao filme “Elvis e eu” em 1988.
  Foi no ensino medio que teve certeza que faria arquitetura e teve todo apoio para ir para Londrina, cidade pela qual se apaixonou à primeira vista, fez amigos pra vida inteira e morou por 5 anos, enquanto fazia o curso de Arquitetura e Urbanismo da Unifil. No fim de 2005, se despediu da cidade para fazer pós-graduação em Design de Interiores em São Paulo. Na capital estudou no Senac, trabalhou no escritório Consuelo Jorge Arquitetos Associados e na Construtora Cury, mas o caos da cidade a engoliu e voltou para Birigui em 2008 para abrir seu proprio escritório, até se tornar sócia no seu atual studio em Araçatuba.
  Adora pesquisar, viajar, assistir a filmes baseados em historias reais, ler sobre todos os temas, modernismo brasileiro e ainda não decidiu se gosta mais de arquitetura ou de moda, mas sabe que as duas artes convivem muito bem, até se misturam. E como mademoiselle Chanel explicou, “moda é arquitetura: é uma questão de proporções.”